domingo, 20 de maio de 2018

Sardinha também no prato principal


Espaguete com sardinha
Gente apressada há de concordar: sardinha enlatada é uma mão na roda na cozinha! Fácil de achar em qualquer prateleira de supermercado, o ingrediente salva em muitos dos apuros gastronômicos. Mas que tal avançar algumas casas e incrementar uma receita padrão? O espaguete faz a combinação perfeita com o pescado e ainda põe ares italianos à mesa, quando acrescido aos elementos certos.

Receita
Sardinhas e anchovas no espaguete

Ingredientes:
- 250g de espaguete 
- 1/2 xícara de bacon em cubos 
- 2 colheres de sopa de óleo de soja 
- 1/2 xícara de farinha panko 
- 3 colheres de sopa de cebola roxa em cubos 
- 2 colheres de sopa de pimentão amarelo em cubos 
- 1 colher de sopa de alcaparras 
- 3 colheres de sopa de azeitona preta 
- 1 xicara de tomate cereja cortado ao meio 
- 1 lata de sardinha limpa no óleo (sem as espinhas) 
- 5 unidades de anchovas (opcional) 
- Folhas de salsinha a gosto 
- Pimenta-do-reino preta moída 
Modo de preparo:
- coloque o macarrão de sua preferência para cozinhar em bastante água fervente com sal. Observe o tempo de cozimento sugerido pelo fornecedor.

- Enquanto isso, em uma frigideira aquecida doure o bacon com metade do óleo de soja. Retire os pedaços do bacon e reserve.


- Com a gordura na frigideira, faça um crisp com a farinha panko cozinhando até que esteja dourada e crocante. Reserve para utilizar na finalização do prato.

- Utilize o resto do óleo de soja e doure a cebola roxa, depois coloque pimentão, tomate cereja, alcaparras, azeitona preta, sardinha com o óleo, anchovas, bacon e as folhas de salsa.

- Escorra o macarrão e misture todos os ingredientes. Rale pimenta-do-reino moída a gosto


- Coloque em um prato fundo e finalize com o crisp de panko.


Anvisa quer alerta contra sódio e açúcar em rótulo de alimento


Sal
Na hora de fazer compras no supermercado e escolher qual alimento levar, poderá fazer diferença a presença um símbolo que indica a presença de alto teor de açúcares adicionados, gordura saturada e sódio. A inclusão desse sinal é uma das recomendações de um relatório preliminar elaborado pela equipe técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia mudanças nas regras de rotulagem dos alimentos.

O documento, ao qual a reportagem teve acesso, deve ser apresentado e discutido em reunião da diretoria nesta segunda-feira (21). Em seguida, segue para consulta pública.

Elaborado após revisão de estudos nacionais e internacionais e da análise de modelos sugeridos à agência e adotados em outros países, o texto dá força a propostas que incluem símbolos e mensagens de alerta para a alta quantidade de substâncias críticas se consumidas em excesso.

Segundo o relatório, a melhor opção é adotar, na frente da embalagem, o chamado semi-interpretativo, em que o consumidor pode ser informado sobre a composição do alimento, mas ao mesmo tempo pode manter a autonomia de decidir se quer comprá-lo ou não. Esse tipo de rotulagem, segundo a agência, tem tido melhor avaliação de custo-benefício em outros países.

Hoje esse tipo de alerta no rótulo de alimentos industrializados já é adotado ou é alvo de análise em alguns países, como Canadá e Israel. No Brasil, propostas similares também foram sugeridas à Anvisa por algumas entidades, caso do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Opas (Organização Panamericana de Saúde) e Caisan (Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional), entre outros.

O objetivo é ajudar o consumidor a ter informações mais claras sobre o que está presente em cada alimento e, assim, escolher produtos mais saudáveis. Apesar de recomendar a adoção de modelo de alertas para o 'alto teor' de gordura, açúcar e sódio, o documento frisa, porém, que as evidências disponíveis ainda "não permitem concluir sobre o formato mais apropriado para facilitar o uso da informação pelo consumidor brasileiro".

Batatas coloridas encantam produtores e mantêm produtividade

batata colorida (Foto: reprodução / TV Globo)
Pelo menos 10% da batata plantada no Brasil está localizada nos campos da região nordeste do estado de São Paulo. O município de Vargem Grande do Sul é um importante polo desse cultivo, onde os agricultores mais tecnificados só trabalham com materiais que saem de laboratórios.
O agrônomo e também agricultor, Pedro Hayashi, se especializou na produção da batata que vai servir de semente para as grandes lavouras. A chamada batata semente. “É o início de tudo. Toda batata, seja aqui no Brasil ou importada passa por esse processo de produção. Aqui é o berçário de batata”, explica.
Nessa primeira fase do cultivo, tudo tem que ser muito limpo, controlado e o manuseio é quase cirúrgico. “Meu trabalho é bem minucioso. Tem que tomar muito cuidado porque pode dar fungo, não pode contaminar a muda. Minha lavoura aqui é o pote. Daqui vai para o campo”, explica Tamires Aparecida Contini, auxiliar de laboratório.
Antes de chegar no campo, as plantinhas ainda passam um tempo nas estufas de crescimento. “É um período de adaptação delas”, explica Hayashi.
Essa adaptação é necessária porque toda batata plantada no Brasil foi melhorada na Europa, apesar de ter origem na América do Sul.
Ao longo da cordilheira dos Andes, mais de quatro mil variedades são plantadas na faixa que se estende da Venezuela até o Chile. E o Peru se destaca nesse cenário.
Levada para Europa e adaptada às condições de países frios, a batata quando trazida de volta chega a produzir 40% menos em climas tropicais e subtropicais. Daí a importância desse trabalho com a semente no laboratório e na estufa antes dela ser levada a campo.
Por ano, a propriedade de Pedro Hayashi produz algo em torno de 2,5 milhões de batata semente. “A batata semente cabe na palma da mão, pesa por volta de trinta, quarenta gramas. No campo, em termos de taxa de multiplicação, de oito a dez vezes. Mas ela pode produzir quinhentas, seiscentas gramas por cada sementinha que é colocada”, explica.
Mergulhado nesse trabalho com batata semente, Pedro foi desvendando o universo das batatas coloridas que foram aparecendo nas suas estufas. “Dentro do melhoramento genético sempre surgem curiosidades. Algumas são coloridas só por fora e não por dentro. Outras não são coloridas por fora e são coloridas só por dentro. Então temos um mix para atender qualquer necessidade e desejo”, comenta.
Ao longo de quase doze anos, selecionando, cruzando, testando as batatas coloridas, Pedro chegou a pelo menos cem tipos diferentes. Como ele ainda não encontrou um mercado para elas, a produção ainda é pequena, cerca de uma tonelada por ano, que dá apenas para o consumo da família ou para presentear os amigos.
“O nosso mercado é feito em cima de um padrão, que é uma batata de pele amarela, brilhante, de formato oval e polpa amarela. Tudo aquilo que é diferente disso, parece que há uma certa rejeição”, comenta.
Rejeição que pode ser superada se um dia houver interesse de bares e restaurantes. Por enquanto, Pedro vai colhendo suas batatas coloridas sempre assim, de pouquinho em pouquinho, duas vezes ao ano...uma na safra de inverno, outra na safra das águas.
Na cozinha, o sucesso das batatas coloridas vai além da beleza das suas tonalidades. É que no geral, elas têm menos água do que a batata comum, que a gente está acostumado a comprar nas feiras e supermercados.
O teor de matéria seca entre uma e outra pode variar em até 4%. Parece pouco, mas isso faz toda diferença na hora de ir para a panela.
“A matéria seca é que dá a crocância na batata, quando ela é frita. E quando é para a indústria, isso que determina o rendimento industrial. É, quanto maior o teor de matéria seca, menos matéria prima tem que entrar na fábrica”, explica Hayashi.
Além da crocância, ela tem um sabor mais acentuado. “É gosto de batata. Coisa que essas batatas que estão no mercado, aqui no Brasil, não têm”, comenta.
As batatas coloridas de Pedro Hayashi têm uma produtividade média equivalente a das batatas comuns: cerca de 35 toneladas por hectare.

Imperatriz/MA 4 x 0 Belo Jardim/PE

Imperatriz goleia o Belo Jardim sem dificuldades. Foto: Antônio Pinheiro - Antônio Pinheiro
Em duelo realizado na noite deste sábado no Estádio Frei Epifânio da Abadia, em Imperatriz-MA, o time homônimo recebeu o Belo Jardim-PE e venceu por 4 a 0, pela Série D. Com o resultado, o Cavalo de Aço encaminhou a classificação à próxima fase e eliminou o rival pernambucano. Agora, o alvirrubro maranhense buscará a primeira posição do seu grupo na última rodada da fase de grupos do torneio.

Encontrando um visitante frágil, os maranhense dominaram a partida de ponta a ponta, sem ter dificuldades para encontrar os seus gols. Logo aos 9 minutos, Júnior Chicão lançou Kanu e o atacante do Cavalo de Aço não perdoou. Aos 33 minutos, o mesmo Júnior Chicão entrou bem na área visitante e apenas teve o trabalho de ampliar o placar. A única chance do Calango veio aos 41 minutos, quando Bebeto obrigou o goleiro Jean a fazer boa defesa.

Na volta do intervalo, o time cavalino seguiu em cima e marcou mais dois. Aos 32, Kaká recebeu e fez o terceiro, enquanto Wanderley anotou o quarto aos 40 e fechou a conta em favor dos maranhenses, encaminhando a sua classificação e eliminando o rival da competição.

Imperatriz e Belo Jardim voltam a campo às 18h do próximo domingo (27), pela sexta e última rodada da primeira fase da Série D. Jogando em casa, o alviverde pernambucano apenas cumpre tabela contra o virtualmente eliminado Guarani de Juazeiro, no SESC/Mendonção, em Belo Jardim. O Imperatriz, por sua vez, visita o virtual classificado América-RN, na Arena das Dunas, em Natal.

sábado, 19 de maio de 2018

Série D: Belo Jardim, Central e Flamengo de Arcoverde ainda tentam a classificação para a próxima fase

Três jogos acontecem neste fim de semana para os clubes pernambucanos pela Série D do Campeonato Brasileiro. Belo Jardim, Central e Flamengo de Arcoverde entram em campo para defender o estado na competição nacional.
Pelo Grupo A6, o Belo Jardim terá uma difícil missão pela frente. O Calango enfrenta o Imperatriz, neste sábado (19), às 19h, no Frei Epifânio, no Maranhão. Em briga direta pela classificação para a próxima fase, o clube pernambucano precisa vencer a partida para assumir a segunda posição do grupo, que hoje pertence ao clube maranhense.
Pelo Grupo A7, o Central, último colocado na tabela de classificação, vai para o tudo ou nada contra o Sergipe, neste sábado (19), às 16h, no Batistão. A partida tem caráter de decisão para os centralinos que precisam vencer para buscar a classificação para a próxima fase. O adversário é o líder do grupo com sete pontos somados nos quatro jogos disputados. Nesta sexta (18), os jogadores do Central fizeram um treinamento no CT do Confiança, em Aracaju. 
Pelo Grupo A8, o Flamengo de Arcoverde vai em busca dos três pontos contra o Flu de Feira, neste domingo (20), às 16h, no Áureo Bradley. A equipe sertaneja conta com o apoio da sua torcida para vencer o jogo e buscar a classificação para a próxima etapa da competição.

Alunos arrecadam dinheiro para professor que não recebe salário há mais de 2 meses


Uma turma do 1º ano da Escola Estadual de Educação Profissional Balbina Viana Arrais, localizada em Brejo Santo, Ceará, organizou uma rifa para arrecadar dinheiro e ajudar o professor Bruno Rafael Paiva. Ele não recebia salário há mais de dois meses.   
Em vídeo publicado por Bruno em seu perfil do Facebook, na última terça-feira, 15, é possível ver o momento em que o professor entra na sala e recebe a homenagem dos estudantes. A quantia no valor de R$ 400 foi entregue dentro de uma caixinha.
“Vai fazer dois meses e meio que dou aula e ainda não recebi nem mesmo o primeiro salário”, conta Bruno na publicação. “Esses alunos ficaram sabendo da minha situação financeira e minha dificuldade pra continuar na escola, por estar até dormindo em local emprestado, já que não sou da cidade”, desabafa. Ele conta que os alunos, em segredo, rifaram uma cesta de chocolates da empresa Cacau Show para arrecadar o dinheiro.
 
A Secretaria da Educação do Estado (Seduc) informou por meio de nota que o salário do professor não estaria atrasado e que "o Governo paga os salários dos servidores rigorosamente em dia".


De acordo com a Seduc, Bruno foi contratado como profissional temporário para substituir a professora efetiva que está em licença médica. "O professor será remunerado em primeiro de junho de 2018, sendo respeitado o prazo estabelecido no ato de contratação temporária", promete.
Confira o vídeo:

Detento engole cinco celulares e passa mal em presídio de Minas Gerais

Por meio de raio-X foi possível constatar a presença dos aparelhos. Foto: Reprodução
Uma situação inusitada, mas que colocou em risco a vida de um presidiário de Formiga, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais, foi registrada na manhã desta quinta-feira (17/5), na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade. O detento, que deu entrada no local com fortes dores abdominais, náuseas e vômitos, admitiu ter engolido cinco aparelhos de celular com carregadores, depois de uma rápida saída do presídio. Um raio-X foi realizado e ficou constada a presença dos objetos no corpo dele, e à tarde ele deu entrada no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS).

De acordo com informações da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Formiga, que prestou os primeiros socorros, por volta das 10h de ontem, o interno Riverson Costa Fernandes, de 31 anos, foi atendido. Durante as investigações médicas, o preso admitiu que estava em liberdade, por ocasião do indulto do Dia das Mães, quando engoliu os aparelhos. "Ele chegou para atendimento junto com os agentes penitenciários e acabou confessando que engoliu cinco celulares e dois carregadores. O paciente foi encaminhado para a sala de raio-X, onde após o exame, os equipamentos foram visualizados no estômago", disse o médico que atendeu o detento na UPA, Vladimir Moreira Gomes.

O presidiário esperava expelir os aparelhos ao retornar do indulto para a cadeia, forçando o vômito. Porém, os seus planos deram errado, já que ele não conseguiu colocar para fora os celulares por meios naturais. Os corpos estranhos então começaram a causar reações em seu organismo, como a forte dor abdominal. Com quadro de saúde complicado, ele pediu ajuda ao departamento médico da unidade prisional.

No hospital João XXIII, apesar de a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) se negar a repassar qualquer informação, apurou-se que alguns dos objetos foram retirados por meio de endoscopia. Porém, Riverson Fernandes está internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI), em estado grave, aguardando procedimentos para retirada dos demais aparelhos.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que seu pessoal da inteligência, por meio de monitoramento dos detentos que regressaram do benefício de saída temporária, concedido pelo Poder Judiciário, constataram que o detento Riverson Fernandes havia ingerido materiais ilícitos.

Pernambuco tem pior surto de conjuntivite da década

Entre os dias 1º de janeiro e 14 de maio, a Fundação Altino Ventura (FAV) atendeu 37.047 pacientes com conjuntivite. O número de casos neste ano já supera o total registrado em 2017, quando houve 27.281 casos da doença. De acordo com a unidade, a maioria das ocorrências é de Pernambuco.
Segundo os representantes da Fundação, o Estado enfrenta o pior surto da doença desde 2008, por isso foi solicitado o apoio do governo estadual para que os pacientes possam ser atendidos nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA).
A oftalmologista Edilana Sá afirmou que o surto surpreendeu os profissionais de saúde pela intensidade e duração. “Este é o maior surto que vivenciamos em dez anos e está surpreendendo pela duração e pelo maior número de pacientes acometidos”, afirmou.
A Secretaria Estadual de Saúde informou que realizou uma capacitação na rede primária e de urgência para reforçar o protocolo de atendimento para casos da doença. Com isso, as equipes estão capacitadas para prestar o atendimento inicial.

Engenheiro confundido com Antonio Fagundes em vídeo diz que passa bem após agressão


Video que circula no WhatsApp diz que homem agredido em posto é Antonio Fagundes (Foto: Reprodução/ WhatsApp)
O homem que aparece em um vídeo embriagado e levando tapas em um posto de combustíveis disse estar bem após a agressão sofrida. As imagens viralizaram em redes sociais nesta quinta-feira (17) por causa da semelhança da vítima, de 62 anos, com o ator Antonio Fagundes. O assunto ficou entre os mais comentados do Twitter.

“Estou bem, estou bem. Eu e meu advogado estamos reservados em falar sobre o caso”, disse por telefone o engenheiro aposentado, que prefere não ter o nome divulgado.

A violência aconteceu no dia 5 deste mês em Alphaville, na Grande São Paulo, e foi gravada por celular. Nas imagens, o agressor, um homem alto e forte, desfere dois tapas fortes no rosto do engenheiro, que cai no chão a cada um dos golpes. Em seguida, o agressor aparenta mostrar uma arma para a vítima.

A voz e a aparência física do engenheiro no vídeo se assemelham de tal forma às do ator, que o próprio Fagundes fez questão de se pronunciar para desmentir o caso. A TV Globo também confirmou que não se trata do ator.

O engenheiro deve prestar depoimento informal no Distrito Policial de Santana de Parnaíba na próxima semana, segundo a delegada titular Izabel Ferraz. 

Preliminarmente, a vítima informou à polícia que ouvia música no posto de combustíveis quando um homem se aproximou e pediu para baixar o volume. Posteriormente, soube-se que o agressor era segurança do local.

“O caso ainda está como de autoria desconhecida. Foi registrado um boletim de ocorrência de lesão corporal e ameaça”, disse a delegada.